Desenvolvimento:

BREVE BIBLIOGRAFIA DO BEATO ANTÔNIO FREDERICO OZANAM

                  Nascido em Milão, no dia 23 de abril de 1813, era filho de Jean Antoine François Ozanam e Marie Nantas. Após a escola secundária em Lyon (França), faz seus estudos universitários em Paris, tendo a defesa da verdade e o compromisso social como as bases de sua curta, mas generosa vida.
Em 1833 funda, juntamente com seis companheiros, as Conferências de São Vicente de Paulo, que iriam se espalhar rapidamente pela França, pela Europa e, depois, pelo mundo todo, estando presente atualmente em 148 países. Doutor em Direito (1836) e depois em Letras (1839), Ozanam inicia uma brilhante carreira universitária que o levará, em 1844, a tornar-se o titular da cátedra de Literatura Esrangeira na Universidade Sorbonne.

                 Em 1841 casa-se com Amelie Soulacroix, filha do Reitor da Academia de Lyon; dessa união nasce Marie, única filha do casal. Em 1846 começam a aparecer os primeiros sintomas de uma grave infecção renal, que o levaria a uma morte prematura. Em 1848 participa do lançamento do jornal “L’Ere Nouvelle” (A Nova Era), no qual se esforça para “transmitir o Espírito do Cristianismo em instituições republicanas”. Seu pensamento impregnou amplamente o Catolicismo Social e está presente na Ecíclica “Rerum Novarum”, do Papa Leão XIII (1841).
Morreu na noite do dia 8 de setembro de 1853, em Marselha, e foi beatificado por João Paulo II no dia 22 de agosto de 1997, na Catedral de Notre-Dame, em Paris.
                 Atualmente, os vicentinos do mundo todo rezam “na esperança da obtenção de um milagre” para que seja obtida sua canonização. Ozanam é modelo de apóstolo leigo que a Igreja apresenta a todos os fiéis, sobretudo, aos jovens.
“Servidor dos mais Pobres”, este é o título que lhe foi atribuído pela Igreja Católica, pelo qual deve ser invocado nas orações feitas pela Jornada Mundial da Juventude (JMJ 2013), da qual foi escolhido como um dos intercessores.